<

Recentes Avanšos no Tratamento do Homem EstÚril

Dra. Maria Cristina Santoro Biazotti

Com a chegada da Fertilização Assistida e em particular com o uso da injeção intracitoplasmática de espermatozóide (ICSI), a maioria dos homens com pouco ou quase nenhum espermatozóide pode agora permitir que suas esposas tenham a esperança de uma gravidez.

Foi na Bélgica, há menos de 5 anos, que PALERMO obteve a primeira gravidez através da técnica de ICSI, que consiste na injeção de um único espermatozóide para o interior do citoplasma de um óvulo.

Para a micromanipulação de gametas é necessário um aparelho (micromanipulador) onde serão adaptadas duas micropipetas . Uma delas fará a contenção do óvulo a ser fecundado e a outra captará o espermatozóide que será injetado. Foto

Devido ao sucesso nestes resultados, as indicações para realização da injeção intracitoplasmática vêm aumentando consideravelmente. Uma indicação importante tem sido nos casos de ausência de espermatozóides no material ejaculado, seja por causa congênita ou adquirida (vasectomia), onde este procedimento é aplicado após a recuperação cirúrgica do espermatozóide por punção do epidídimo (corpo alongado situado na porção superior do testículo) ou por biópsia testicular.

"Esta técnica vem apresentando índices de fecundação entre 60 a 65%."

Dra. Maria Cristina Santoro Biazotti
Centro de Medicina Reprodutiva - Sêmion

Copyright © 1996 Lúcia Helena S. De Cicco

Copyright © 1996-2000 Universidade Estadual de Campinas
Uma realização: Núcleo de Informática Biomédica
Todos os direitos reservados. Reprodução proibida.